O escritor Melchiades Montenegro lançará obras históricas no dia 11 de novembro, às 15h, na Academia Pernambucana de Letras

O compositor Beto do Bandolim, assíduo leitor das obras do escritor Melchiades Montenegro, compôs, em 2014, uma valsa com o nome “FELICIANA” homenageando a personagem principal do livro “FELICIANA, um olhar  no infinito”. Para o livro “Cesário, uma vitória sobre o preconceito”, compôs um Chorinho por nome “CESÁRIO” e para o livro “SERAFIM & DAMARIS, 14 de  maio de 1888, o dia que nunca existiu”, compôs um Lundum. Estas três composições serão  apresentadas  ao público pelo compositor no dia 11 de novembro na biblioteca da Academia Pernambucana de Letras, às 15h, por ocasião do lançamento  do “SERAFIM & DAMARIS”, fechando a trilogia romanceada da escravatura que teve início com o livro “FELICIANA” e o livro “CESÁRIO”.

MELCHIADES MONTENEGRO nasceu em Catende, Estado de Pernambuco. É geógrafo e trabalhou na Empresa Pernambucana de Pesquisa Agropecuária – IPA.  Possui artigos, contos, poemas e livros publicados desde o ano de 1973. É presidente Academia Recifense de Letras (biênio 2020/2022) e integra a Academia de Letras e Artes do Nordeste Brasileiro – ALANE, a Academia de Artes e Letras de Pernambuco – AALP, a Academia de Artes, Letras e Ciências de Olinda – AALCO e a Academia de Triunfense de Letras e Artes – ATLA. É membro e exerceu cargos de destaque na União Brasileira de Escritores – UBE/PE, é associado a UBE de São Paulo e Associado Correspondente da UBE/RJ e da Associação Brasileira de Engenheiros Escritores-ABRAEE. Melchiades Montenegro também é poeta, músico, crítico literário, jornalista e um completo artista em sua mais pura essência. É pintor de qualidades raras, apto a registrar em óleo, em aquarela, em acrílico, em lápis ou em pasteis, sempre com matizes que harmoniosamente se entrelaçam, fatos do cotidiano e especialmente as imagens do interior do seu Pernambuco (notadamente as encostas da Barra do Sirinhaém) e do seu Recife.

Deixe uma resposta