Dodora lança o livro “Zé Pereira e Vitalina – Os Primeiros Bonecos Gigantes do Brasil”

A escritora e professora, Maria Auxiliadora Lustosa (Dodora), lança o livro “Zé Pereira e Vitalina – Os primeiros bonecos gigantes do Brasil” com o selo das Edições Novo Horizonte. A obra traz a história dos Bonecos Gigantes do município de Belém do São Francisco-PE.  “A motivação para escrever a história surgiu, em fevereiro de 2021, quando fui convidada para falar sobre o nosso carnaval. Estávamos no Centro de Integração Social e Cultural José Cantarelli, realizando o planejamento das atividades remotas para nossos alunos do Projeto Reviver, quando nos foi sugerido que, em fevereiro, falássemos sobre os nossos Bonecos Gigantes, vivenciando a magia do carnaval belemita. Assim, presenteamos nossas crianças e adolescentes com essa linda história e, através dela, mergulhamos nos vários aspectos dessa nossa riqueza cultural”, afirma a autora do livro.

Maria Auxiliadora Lustosa (Dodora) é licenciada em Letras, pela Unicap, com Especialização em Língua Portuguesa e Mestrado em Linguística pela UFPE. Dedicou-se à sala de aula e no CEVASF, em Belém do São Francisco-PE, encontrou o campo fértil para exercer o magistério. Hoje, ampliou seu campo de atuação e faz parte da equipe pedagógica do Projeto REVIVER. Em contato com criança e adolescentes do referido projeto, resolveu escrever histórias infantis que falassem sobre a cultura da sua terra, abordando temas relevantes para esse público tão especial.

Em breve! A escritora Antônia Campos lançará novo livro

A escritora, professora e artista plástica, Antônia Campos, prepara-se para lançar o seu novo livro, o romance “Encontro casual em águas sanfranciscanas” com  o selo das Edições Novo Horizonte. O lançamento está previsto para este ano. Em breve, daremos mais informações. A obra conta com ilustrações (capa e miolo) do artista Pedro Zenival. “…ela nos surpreende com o resgate histórico do Vapor Comendador Peixoto, marco da navegação fluvial nas décadas de 50/ 60 numa atmosfera musical, teatral, turística. Parabéns, Antônia Campos, pela feliz iniciativa de escrever este memorável e didático romance”, afirma a escritora e editora, Lourdes Nicácio.

ANTÔNIA CAMPOS DE ANDRADE LIMA é licenciada em Letras pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), especialização em Teoria da Literatura, membro da Academia de Letras do Brasil (ALB/PE), da União Brasileira de Escritores (UBE/PE) e da Associação dos Poetas Vivos de Olinda (APVO). É autora dos livros: “Pincelando Poesias” (2014) e “Poeiras de Saudades” (2017). Ingressou na sua carreira literária com a antologia: “Poesias da Idade” (UNATI/UFPE), em 2008. Tem poesias, contos e artigos publicados em revistas literárias e antologias. Natural de Pão de Açúcar – Alagoas, reside em Pernambuco desde a infância.

“78 dias de amor” – Homenagem à escritora Turmalina Teles

* Por Vanessa Teles

Bom… Eu não sou escritora, mas esse texto vem me incomodando para sair da minha cabeça há alguns dias. Minha avó escreve, e me falou que era assim: as coisas vêm à cabeça, e pronto! 

Dito isso, quero começar esta história. Infelizmente, é mais uma história sobre a pandemia que estamos vivendo. Mas, leia até o final, acredito que você irá se surpreender!

Para começar, preciso falar brevemente da minha avó. Ela tem 84 anos, mora sozinha, é independente e alegre. Escreve, canta, dança. Ela tem uma energia de dar inveja a qualquer mocinha de 20 e poucos anos. É algo encantador! Ela brilha tanto que tem o nome de uma pedra. Eu não sei dizer se essa pedra é ou não preciosa, mas minha avó é!

Essa história não é sobre ela, exatamente, mas sobre mim e tudo o que ela me ensinou.

Em dezembro de 2019, ela foi pega de surpresa por uma cirurgia no coração. Era um exame de rotina, e ela acabou indo para a UTI. O médico disse que não sabia como o coração estava bombeando o sangue dela de pingado e ela ainda estava, aparentemente, normal. Ele disse: ela é muito forte!

Agora, imagina você, perto do fim de ano, querendo comemorar com quem ama, e eis que, repentinamente, acorda numa cama de UTI, com a notícia de que será operada com urgência. Ela passou Natal, Ano, enfim… Algum tempo ali, internada, e tudo foi muito sofrido.

Nunca a vi tão frágil. Jamais imaginei que uma cirurgia de ponte de safena maltratasse tanto! Ela estava muito fraca e sem muita energia, e, pior de tudo: ela estava triste! Pois bem, eu, nos meus 35 anos de idade, nunca tinha visto minha avó triste. Nem lembrava de quando eu tinha visto ela chorar. Ela, para mim, é símbolo de força, de vitalidade, de amor e de energia infinita.

Enfim… Meses se passaram e a recuperação era lenta. Ela estava na casa do filho e o ambiente bucólico a deprimia. Ela gosta de cidade, de barulho. Passar o dia olhando para o mato parecia que estava fazendo ela definhar aos poucos.

Foi então que a convidei para passar um final de semana na minha casa, e… Pasmem! Ela ficou por 78 dias!

A pandemia começou repentinamente por aqui. A gente havia ido ao salão de beleza e ao Pilates juntas. Depois, ouvimos na TV a notícia de que todo mundo teria de se trancar. Era um vírus desconhecido e mortal, que estava (e ainda está, infelizmente) matando à toa. Num dia, você estava bem; no outro, era intubado e morria. Parecia um filme de terror, só que era real! Naquele início pandêmico, pouco se sabia: não era aconselhado o uso de máscara, pois ela podia faltar para um profissional de saúde. Tínhamos poucas informações e recomendações, além da orientação de isolamento completo para evitar o contágio.

Pois bem, anunciaram “lockdown” no Recife. Eu nunca tinha nem ouvido essa palavra. A única coisa que fiz foi falar com meu marido para minha avó ficar aqui. Eu não conseguia nem imaginar o que poderia acontecer se ela fosse pega por esse maldito vírus!

Enfim… Ficamos aqui, trancadas, enquanto o tempo passava. Era março e eu tinha até agosto para defender minha dissertação de mestrado. Ainda faltava muita coisa, inclusive o capítulo de análises, que era fundamental. As aulas tinham passado para o regime remoto e, de repente, a gente estava aprendendo milhares de aplicativos para ensinar. O caos estava absolutamente instalado na vida de todas as pessoas do mundo, mas não na minha!

Naqueles meses, resolvi deixar minha pesquisa em “stand by”. Era aquilo… um vírus mortal por aí, todo mundo trancado, e eu tendo de manter a sanidade mental. Então, resolvi não surtar me cobrando uma produtividade que não fazia o menor sentido à época.

Resolvi que minha missão seria apenas uma: cuidar da minha vó! E foi a melhor coisa que poderia ter me acontecido! Nossos dias eram divertidos, e, mesmo ela estando tristinha e com dor, muitas vezes nos divertíamos juntas. Ela chegou bem enjoadinha para comer, os remédios a deixavam assim, mas, aos poucos, ela foi melhorando e aceitando nossa comida.

Pela manhã, era tapioca com suco, que meu marido fazia. No almoço, ela só queria macarrão, então eu fazia macarrão de arroz, e, à noite, era uma sopa que eu fazia – com tudo dentro!

Nos dias em que eu não dava aula, a gente assistia desde a novela mexicana das 17:00 até à novela das 22:00. Eu dava banho nela, passava talco, pomadas, esquentava água, e dava banho de balde! Colocava um som ao lado dela, para ela dormir, e conversávamos até ela pegar no sono. Desde então, ela me chama de “Maenha”.

Ela passou um tempo com um buraco no peito, pois houve rejeição a um tipo de fio colocado na cirurgia, então, não podia tomar banho de cabeça. Recebíamos, em casa, uma enfermeira de 2 a 3 vezes na semana; e, por vezes, a podóloga, pois as unhas dela são extremamente encravadas e ela é diabética, o que tornava perigoso qualquer um fazer a unha dela. Seguíamos todos os protocolos para receber aquelas profissionais, que eram bastante cuidadosas. Por sinal, curiosamente, as duas se chamam Marília. Nesse tempo, já se sabia da máscara, do distanciamento, do álcool.

Nos fins de semana, a gente pedia almoço gostoso em algum restaurante. Na nossa Páscoa, recebemos ovos de chocolate pelo “delivery” e, no último dia dela aqui, pedi um almoço num restaurante bem chique. Ela estava forte e linda, e foi para casa, voltar à rotina dela, com as coisinhas dela! Isso encheu meu coração de felicidade!

Quando ela saiu daqui, após 78 dias de cuidados, faltava mais ou menos 1 mês para a minha defesa. Deus e meus amigos me ajudaram muito! Corri, e deu tudo certo! Hoje, sou Mestra em Engenharia Civil, e defendi minha dissertação de forma remota e muito emocionante! Inclusive, minha avó assistiu da casa dela, e ainda falou, ao final de tudo!

O mais interessante é que ela acha que me deu muito trabalho, mas o que ela me deu mesmo foi muita força! Ela me colocou numa bolha de amor, num universo paralelo, onde as notícias ruins não me consumiam!

O que eu quero te dizer contando essa história? Bom… Às vezes, ao invés de enxergarmos as oportunidades que o universo está nos dando, nos prendemos ao lado ruim de tudo! Claro que sou absolutamente privilegiada, pois, neste momento tão difícil, nada me faltou de forma material ou emocional. Mas, eu poderia, sei lá, ter surtado – porque minha dissertação estava batendo na porta, minha avó estava fraca e doente, precisando de mim, e ainda tinha (e tem) um vírus mortal matando geral lá fora!

O que quero dizer é que, muitas vezes, temos opções, mas não temos sabedoria para enxergá-las! Eu tinha a opção de surtar e me deprimir, pois meu Mestrado era algo que já se arrastava pro terceiro ano e eu não tinha mais como prorrogar o prazo, mas eu optei por, simplesmente, relaxar! Isso mesmo! Optei por me entregar ao grande amor que sinto por ela e dar o meu melhor, pois ela era muito mais importante para mim do que qualquer título! E, acreditem: nos 30 dias restantes, eu produzi muito mais do que em muitos meses, pois, não só minha mente estava tranquila, mas meu coração estava com aquele sentimento bom de missão cumprida!

Eu não sou absolutamente ninguém para te dar uma lição, mas sou alguém que pode te passar o que aprendeu: priorize quem você mais ama e sua saúde mental. O restante, pode esperar!

* Vanessa Teles é arquiteta e professora universitária.

LUTO – Maria Lúcia Lauria Chiappetta

É com profundo pesar que as Edições Novo Horizonte lamenta o falecimento da premiada escritora, poeta e contista, Maria Lúcia Lauria Chiappetta. “Encantado com sua poesia que confirma quanto foi justo o Prêmio Nacional”, afirmou o escritor e sociólogo, Gilberto Freyre, referindo-se à premiação concedida à poeta (2º lugar)  no 8º Concurso Nacional de Poesia  com inscrição de 13.000 poetas.
      A autora participou ativamente da Revista de Literatura Novo Horizonte e de várias antologias produzidas pela editora. “A poesia de Lúcia Chiappetta tem ainda hoje o cheiro de mato das regiões visitadas, transmite a sensação da claridade dos trópicos, a aridez do sertão nordestino e a grandeza que ela encontra em cada toque transformando em lindos versos embasados no amor em suas diferentes formas e tempos de verbo. Nós, leitores, somos agraciados. E com Lúcia ao lado, voamos até chegar a Deus”,  afirma a escritora e jornalista, Ariadne Quintella no artigo “Conheça a poesia de Lúcia Chiappetta”, publicado na Revista de Literatura Novo Horizonte, julho de 2018.
        Lúcia Chiappetta é autora dos livros: “Corcéis da espreitada noite”, “A colheita do silêncio”, “50 poemas escolhidos do autor”, entre outros.  Em  “A colheita do silêncio” a escritora, poeta e jornalista, Lourdes Sarmento, ressalta a força poética de Chiappetta: “Trata-se de um trabalho consistente, de certa forma, um garimpo cuidadoso da poeta, numa busca que se ilumina e arranca do chão as raízes do seu território: a Palavra, súbito canto, rasgando asas de anjos e visões de fantasmas”.
        Segundo a escritora, professora e editora, Lourdes Nicácio: “a força da sua poesia vem da exuberância de símbolos que se multiplicam e ganham distâncias. Daí, a plenitude, o luminoso nos seus poemas, mesmo quando a descobrimos triste, sombria: ‘Há um olhar de Deus/ dentro da própria escuridão da vida”.       
       Lúcia Chiappetta é de ascendência italiana, mesclada às raízes nordestinas. O encontro destas duas forças amalgamou o seu caráter. De um lado, tendências, costumes, convívio, aprendizado dos ancestrais latinos. De um outro, a devoção expressa no dia-a-dia da sua região, assolada por grandes e, às vezes, trágicos acontecimentos: a estiagem, contínuas migrações, resultando na   bravura nordestina  de superar as carências impostas pelo subdesenvolvimento. O Poço da Panela foi   a seta que lhe desferiu a intuição   poética: um   passeio a cavalo, numa tarde, com o avô, aos cinco anos    de idade, descortinou-lhe a verde e exuberante vegetação. E o escrever, a medida do aperfeiçoamento que tentou obter, foi um valioso canal que a escuda e alivia.

Soneto inspirado em texto do escritor Melchiades Montenegro

Soneto inspirado em texto do escritor Melchiades  Montenegro, publicado na Antologia dos Autores da Revista de Literatura  Novo Horizonte. O soneto “Sinos da conquista holandesa” do escritor Josué Sena – soneto é inspirado em um dos textos do escritor Melchiades Montenegro, DESTINO DOS PRIMITIVOS SINOS DE OLINDA, publicado na Antologia dos Autores da Revista de Literatura  Novo Horizonte, 2021, e na revista do mesmo nome,  n° 20, 2018:

Sinos da conquista holandesa

(Josué Sena)

Goiana. Olinda, Holanda. Pobres sinos,

Da minha pernambucana terra.

Deixaram os ofícios divinos

Para serem instrumentos de guerra.

Saíram, como butim,  das torres sineiras,

Ao impulso de quem manda,

Foram para a Holanda,

Servir às protestantes bandeiras.

Transformaram-se em canhões

Mudaram a sua piedosa sorte.

Não mais às horas canônicas e orações

Deram o brônzeo  suporte,

Para dilacerar entranhas e corações

Foram guarnecer carretas, navios e fortes.

Lançamento da Antologia dos Autores da Revista de Literatura Novo Horizonte – Prosa e Verso

TV GLOBO, BOM DIA PE, 16.04.2021

>>Link do lançamento virtual, às 20h, pelo Google Meet: https://meet.google.com/vvb-eady-ifs

>> Leia a revista na íntegra: CLIQUE AQUI

Nesta sexta-feira, dia 16 de abril, às 20h, pelo Google Meet será realizado o lançamento virtual do livro  “Antologia dos Autores da Revista de Literatura Novo Horizonte – Prosa e Verso” organizada pela professora, poeta e escritora, Lourdes Nicácio e Silva. A obra presta homenagem aos 15 anos da Revista de Literatura Novo Horizonte e reúne 48 autores com artigos, contos, crônicas, poemas e outros gêneros já publicados nas edições anteriores da revista. O livro já está disponível gratuitamente para leitura: CLIQUE AQUI

A Antologia também homenageia os 25 anos da Academia Recifense de Letras; os 25 anos do Jornal/Revista Jardim News (artesanal) do escritor, jornalista e editor, José Tavares de Lima; os 10 anos do Site Domingo com Poesia: http://www.domingocompoesia.com.br do pedagogo, poeta e editor, Natanael Lima Jr.; os editores (in memoriam): Cloves Marques, escritor, poeta e editor das Edições Casa de Taipa; Tarcísio Pereira, editor e fundador da Livro 7, uma livraria sempre presente na memória de todos nós brasileiros; Waldemar Lopes, poeta e editor da Editora dos Amigos.

“Foi uma feliz oportunidade de releitura de tantas produções de excelência desses escritores, poetas, jornalistas e professores de vários estados brasileiros – ressaltem-se Alagoas, Paraíba, Rio Grande do Norte, Paraná, Ceará, Bahia e Pernambuco, realçando em toda a extensão da obra a participação de autores de várias cidades pernambucanas como Recife, Olinda, Catende, Garanhuns, Pesqueira, Tuparetama, Caruaru, Serra Talhada, Vitória de Santo Antão, Belém do São Francisco, Afogados da Ingazeira, Palmares, entre outras”, afirma a organizadora do livro, a professora, escritora e editora, Lourdes Nicácio e Silva.

>> Participantes da antologia: Aglaura Catão – Alzira Paiva Tavares – Antônia Campos – Antônio Neto – Ariadne Quintella – Carlos  Jales  – Cici Araújo – Ciro Rickli – Djanira Silva – Eduardo Gomes – Fernando Farias – Fernando Tavares – Geraldo Ferraz – Glória Albuquerque – Graças Silva Rickli – Heitor Bezerra Brito – Ivanilde Morais de Gusmão – Jacira Barros – Josinaldo Maria da Costa – Leny Amorim –  Lourdes Nicácio e Silva – Lourdes Sarmento – Lúcia Regina – Marcos Carneiro – Maria Lúcia Lauria Chiappetta – Maria do Céu de Ataíde Vasconcelos – Maria do Socorro Costa – Maria Lúcia de Araújo Nogueira – Maria Nilza da Conceição Lima –  Melchiades Montenegro – Milton Júnior – Myriam Brindeiro – Murilo Crêspo – Nelson Brandão – Olímpio Bonald Neto – Paulino Fernandes Lima – Petrucia Camelo – Rachel Carrilho – Raphaela Nicácio – Robson Sampaio – Rosa Lia Dinelli – Sônia Callou – Stephem Beltrão – Socorro Canto – Telma Brilhante – Telma Galdino – Turmalina Teles – Zélia Monte.

A escritora Lourdes Sarmento é participante da Antologia dos Autores da Revista Novo Horizonte

A escritora Lourdes Sarmento é participante da “Antologia dos Autores da Revista de Literatura Novo Horizonte – Prosa e Verso” e fala, em depoimento, sobre o livro organizado pela professora, poeta e escritora, Lourdes Nicácio. A obra será lançada no dia 16 de abril (sexta-feira), às 20h, pelo Google Meet, no link: https://meet.google.com/vvb-eady-ifs A antologia presta homenagem aos 15 anos da Revista de Literatura Novo Horizonte e reúne 48 autores com artigos, contos, crônicas, poemas e outros gêneros já publicados nas edições anteriores da revista.  A partir do dia do lançamento, o livro ficará disponível para leitura no site: http://www.edicoesnovohorizonte.com  e divulgado entre as bibliotecas estaduais.

>> Participantes da antologia: Aglaura Catão – Alzira Paiva Tavares – Antônia Campos – Antônio Neto – Ariadne Quintella – Carlos  Jales  – Cici Araújo – Ciro Rickli – Djanira Silva – Eduardo Gomes – Fernando Farias – Fernando Tavares – Geraldo Ferraz – Glória Albuquerque – Graças Silva Rickli – Heitor Bezerra Brito – Ivanilde Morais de Gusmão – Jacira Barros – Josinaldo Maria da Costa – Leny Amorim –  Lourdes Nicácio e Silva – Lourdes Sarmento – Lúcia Regina – Marcos Carneiro – Maria Lúcia Lauria Chiappetta – Maria do Céu de Ataíde Vasconcelos – Maria do Socorro Costa – Maria Lúcia de Araújo Nogueira – Maria Nilza da Conceição Lima –  Melchiades Montenegro – Milton Júnior – Myriam Brindeiro – Murilo Crêspo – Nelson Brandão – Olímpio Bonald Neto – Paulino Fernandes Lima – Petrucia Camelo – Rachel Carrilho – Raphaela Nicácio – Robson Sampaio – Rosa Lia Dinelli – Sônia Callou – Stephem Beltrão – Socorro Canto – Telma Brilhante – Telma Galdino – Turmalina Teles – Zélia Monte

A escritora Ivanilde Gusmão é participante da Antologia dos Autores da Revista de Literatura Novo Horizonte

A escritora Ivanilde Morais de Gusmão é participante da “Antologia dos Autores da Revista de Literatura Novo Horizonte – Prosa e Verso” e fala, em depoimento, sobre o livro organizado pela professora, poeta e escritora, Lourdes Nicácio. A obra será lançada no dia 16 de abril (sexta-feira), às 20h, pelo Google Meet, no link: https://meet.google.com/vvb-eady-ifs A antologia presta homenagem aos 15 anos da Revista de Literatura Novo Horizonte e reúne 48 autores com artigos, contos, crônicas, poemas e outros gêneros já publicados nas edições anteriores da revista.  A partir do dia do lançamento, o livro ficará disponível para leitura no site: http://www.edicoesnovohorizonte.com  e divulgado entre as bibliotecas estaduais.

A Antologia também homenageia os 25 anos da Academia Recifense de Letras; os 25 anos do Jornal/Revista Jardim News (artesanal) do escritor, jornalista e editor, José Tavares de Lima; os 10 anos do Site Domingo com Poesia: http://www.domingocompoesia.com.br do pedagogo, poeta e editor, Natanael Lima Jr.; os editores (in memoriam): Cloves Marques, escritor, poeta e editor das Edições Casa de Taipa; Tarcísio Pereira, editor e fundador da Livro 7, uma livraria sempre presente na memória de todos nós brasileiros; Waldemar Lopes, poeta e editor da Editora dos Amigos.

>> Participantes da antologia: Aglaura Catão – Alzira Paiva Tavares – Antônia Campos – Antônio Neto – Ariadne Quintella – Carlos  Jales  – Cici Araújo – Ciro Rickli – Djanira Silva – Eduardo Gomes – Fernando Farias – Fernando Tavares – Geraldo Ferraz – Glória Albuquerque – Graças Silva Rickli – Heitor Bezerra Brito – Ivanilde Morais de Gusmão – Jacira Barros – Josinaldo Maria da Costa – Leny Amorim –  Lourdes Nicácio e Silva – Lourdes Sarmento – Lúcia Regina – Marcos Carneiro – Maria Lúcia Lauria Chiappetta – Maria do Céu de Ataíde Vasconcelos – Maria do Socorro Costa – Maria Lúcia de Araújo Nogueira – Maria Nilza da Conceição Lima –  Melchiades Montenegro – Milton Júnior – Myriam Brindeiro – Murilo Crêspo – Nelson Brandão – Olímpio Bonald Neto – Paulino Fernandes Lima – Petrucia Camelo – Rachel Carrilho – Raphaela Nicácio – Robson Sampaio – Rosa Lia Dinelli – Sônia Callou – Stephem Beltrão – Socorro Canto – Telma Brilhante – Telma Galdino – Turmalina Teles – Zélia Monte.

A escritora Turmalina Teles é participante da Antologia dos Autores da Revista de Literatura Novo Horizonte

A escritora Turmalina Teles é participante da “Antologia dos Autores da Revista de Literatura Novo Horizonte – Prosa e Verso”  e fala, em depoimento, sobre a organizadora do livro a professora, poeta e escritora, Lourdes Nicácio. A obra será lançada no dia 16 de abril (sexta-feira), às 20h, pelo Google Meet, no link: https://meet.google.com/vvb-eady-ifs A antologia presta homenagem aos 15 anos da Revista de Literatura Novo Horizonte e reúne 48 autores com artigos, contos, crônicas, poemas e outros gêneros já publicados nas edições anteriores da revista.  A partir do dia do lançamento, o livro ficará disponível para leitura no site: http://www.edicoesnovohorizonte.com  e divulgado entre as bibliotecas estaduais.


A Antologia também homenageia os 25 anos da Academia Recifense de Letras; os 25 anos do Jornal/Revista Jardim News (artesanal) do escritor, jornalista e editor, José Tavares de Lima; os 10 anos do Site Domingo com Poesia: http://www.domingocompoesia.com.br do pedagogo, poeta e editor, Natanael Lima Jr.; os editores (in memoriam): Cloves Marques, escritor, poeta e editor das Edições Casa de Taipa; Tarcísio Pereira, editor e fundador da Livro 7, uma livraria sempre presente na memória de todos nós brasileiros; Waldemar Lopes, poeta e editor da Editora dos Amigos.

>> Participantes da antologia: Aglaura Catão – Alzira Paiva Tavares – Antônia Campos – Antônio Neto – Ariadne Quintella – Carlos  Jales  – Cici Araújo – Ciro Rickli – Djanira Silva – Eduardo Gomes – Fernando Farias – Fernando Tavares – Geraldo Ferraz – Glória Albuquerque – Graças Silva Rickli – Heitor Bezerra Brito – Ivanilde Morais de Gusmão – Jacira Barros – Josinaldo Maria da Costa – Leny Amorim –  Lourdes Nicácio e Silva – Lourdes Sarmento – Lúcia Regina – Marcos Carneiro – Maria Lúcia Lauria Chiappetta – Maria do Céu de Ataíde Vasconcelos – Maria do Socorro Costa – Maria Lúcia de Araújo Nogueira – Maria Nilza da Conceição Lima –  Melchiades Montenegro – Milton Júnior – Myriam Brindeiro – Murilo Crêspo – Nelson Brandão – Olímpio Bonald Neto – Paulino Fernandes Lima – Petrucia Camelo – Rachel Carrilho – Raphaela Nicácio – Robson Sampaio – Rosa Lia Dinelli – Sônia Callou – Stephem Beltrão – Socorro Canto – Telma Brilhante – Telma Galdino – Turmalina Teles – Zélia Monte.

Na Rádio Folha, a organizadora da antologia dos Autores da Revista de Literatura Novo Horizonte, Lourdes Nicácio

Nesta terça-feira (13), a professora, poeta e escritora, Lourdes Nicácio, foi entrevista na Rádio Folha (96.7 FM). Na próxima sexta-feira, dia 16 de abril, às 20h, pelo Google Meet será realizado o lançamento virtual do livro  “Antologia dos Autores da Revista de Literatura Novo Horizonte – Prosa e Verso” organizada pela escritora. A obra presta homenagem aos 15 anos da Revista de Literatura Novo Horizonte e reúne 48 autores com artigos, contos, crônicas, poemas e outros gêneros já publicados nas edições anteriores da revista. A partir do dia do lançamento, o livro ficará disponível gratuitamente para leitura no site: http://www.edicoesnovohorizonte.com  e divulgado entre as bibliotecas estaduais. Link do Google Meet: https://meet.google.com/vvb-eady-ifs 

>> Participantes da antologia: Aglaura Catão – Alzira Paiva Tavares – Antônia Campos – Antônio Neto – Ariadne Quintella – Carlos  Jales  – Cici Araújo – Ciro Rickli – Djanira Silva – Eduardo Gomes – Fernando Farias – Fernando Tavares – Geraldo Ferraz – Glória Albuquerque – Graças Silva Rickli – Heitor Bezerra Brito – Ivanilde Morais de Gusmão – Jacira Barros – Josinaldo Maria da Costa – Leny Amorim –  Lourdes Nicácio e Silva – Lourdes Sarmento – Lúcia Regina – Marcos Carneiro – Maria Lúcia Lauria Chiappetta – Maria do Céu de Ataíde Vasconcelos – Maria do Socorro Costa – Maria Lúcia de Araújo Nogueira – Maria Nilza da Conceição Lima –  Melchiades Montenegro – Milton Júnior – Myriam Brindeiro – Murilo Crêspo – Nelson Brandão – Olímpio Bonald Neto – Paulino Fernandes Lima – Petrucia Camelo – Rachel Carrilho – Raphaela Nicácio – Robson Sampaio – Rosa Lia Dinelli – Sônia Callou – Stephem Beltrão – Socorro Canto – Telma Brilhante – Telma Galdino – Turmalina Teles – Zélia Monte.